15.5 C
Brasília
quinta-feira, 18/07/2024
- Patrocinado -bar do GG
InícioDistrito FederalAlerta em Samambaia: Aumento Expressivo de Picadas de Escorpiões no Distrito Federal

Alerta em Samambaia: Aumento Expressivo de Picadas de Escorpiões no Distrito Federal

Nos primeiros 10 meses deste ano, o Distrito Federal experimentou um aumento de 7,6% no número de ocorrências de picadas de escorpiões em comparação com todo o ano anterior. As chuvas, que costumam trazer consigo esses aracnídeos, foram responsáveis por um total de aproximadamente 2.360 atendimentos relacionados a esses animais peçonhentos, representando uma média de mais de sete casos por dia, de acordo com dados levantados pela Secretaria de Saúde (SES-DF).

Esse número reflete um crescimento significativo em comparação ao ano passado, quando foram registrados 2.192 incidentes envolvendo escorpiões. Notavelmente, em 2022, a maioria dos casos graves ocorreu em crianças, resultando, infelizmente, em um óbito. A Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) recebeu 2.262 chamados da população para a captura de escorpiões até o mês passado.

O biólogo Alberto Brito atribui o aumento da presença desses aracnídeos nas cidades ao desequilíbrio ambiental, seja pela ausência de predadores naturais ou pelo excesso de presas, como as baratas, nas áreas urbanas. Ele alerta que, em Brasília, o escorpião amarelo é o tipo mais comum e o maior causador de acidentes.

Alberto aconselha medidas preventivas, como manter a residência limpa, fechar as lixeiras (que atraem baratas) e evitar empilhar objetos. Em áreas rurais, o controle biológico, como a criação de galinhas d’angola que predam escorpiões, pode ser eficaz. Ele ressalta que não há conhecimento de um remédio químico com eficácia comprovada para o controle desses aracnídeos.

O relato trágico de Thomas Caitano, picado por um escorpião aos dois anos, destaca a gravidade desses acidentes. Apesar de uma longa recuperação, Thomas demonstra progressos notáveis em sua saúde.

Em caso de picada, é crucial encaminhar a vítima imediatamente a um pronto-socorro. A SES-DF destaca a disponibilidade de soros na rede pública de saúde e aconselha informar ao profissional o máximo possível de características do animal, além de, se possível e seguro, capturá-lo para identificação.

Glauber Erick
Glauber Erickhttps://glaubererick.com.br
Comunicação e Marketing, Jornalista, Assessoria de Imprensa e Produção Audiovisual.
NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Últimas Notícias