16.5 C
Brasília
sábado, 22/06/2024
- Patrocinado -bar do GG
InícioSamambaiaColegas de trabalho lamentam morte de jovem esfaqueado em Samambaia: “Bom menino”

Colegas de trabalho lamentam morte de jovem esfaqueado em Samambaia: “Bom menino”

No restaurante em que trabalhava Natanael Santos de Oliveira, 22 anos, em Águas Claras, funcionários do convívio diário do jovem estão muito abalados com a perde dele. A vítima morreu após ser esfaqueada no peito, durante um assalto, na QR 304 de Samambaia Sul, na última terça-feira (21/2).

Natanael estava a caminho do trabalho, de bicicleta, quando foi abordado por dois criminosos, por volta das 7h30. Ele trabalhava há cerca de um ano e meio na empresa e era responsável pela churrasqueira.

“Ele foi contratado inicialmente para ser auxiliar de serviços gerais, e pintou uma vaga na parrilla, nossa churrasqueira. E um dos nossos funcionários indicou ele para a vaga. Natanzinho se destacou na posição e aguentava a pressão do cargo”, relembra Alexon Michael, chefe da vítima.

De acordo com Alexon, o jovem era bastante responsável, apesar da pouca idade. “Eu ficava sempre no pé dele na questão da qualidade da carne servida no restaurante. Sempre perguntava se ele ia ganhar beijo ou cascudo pelo serviço”, brinca.

O churrasqueiro era conhecido entre a equipe pela pontualidade, dificilmente chegava atrasado no trabalho. Por isso, o atraso dele foi estranhando pela chefia, na última terça-feira.

“Ele era pontual e bastante responsável. Quando trabalhava pela manhã, sempre vinha de bicicleta. No dia, fui informado de que ele não havia chegado no horário, tentamos contatá-lo e não atendia o telefone. Cerca de duas horas depois, soubemos do ocorrido pela família”, conta Alexon.

No dia em que Natanael morreu, seria mais um dia normal de trabalho na empresa. “A partir de então, temos tentado administrar o emocional da equipe. Era pra ter sido um dia como qualquer outro, mas não foi, infelizmente”.

De acordo com o gerente do estabelecimento, João Vasconcelos, o jovem era querido por todos no local. “Natanzinho era um bom menino, correto e que cumpria as funções dele. Era também muito preocupado com o bem-estar da mãe”, comenta.

O jovem era casado e deixou um filho de 2 anos. Familiares e amigos do jovem chegaram a pedir ajuda pelas mídias sociais e fez uma vaquinha para arrecadar recursos necessários ao enterro do jovem.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Últimas Notícias