18.5 C
Brasília
quinta-feira, 20/06/2024
- Patrocinado -bar do GG
InícioDestaquesPCDF investiga denúncia de estupro de menino de 2 anos em creche...

PCDF investiga denúncia de estupro de menino de 2 anos em creche de Samambaia

Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e a Secretaria de Educação (SEE) apuram o caso de um menino de 2 anos que teria sido estuprado por um professor dentro do Centro de Educação da Primeira Infância (Cepi) Bambu, em Samambaia, em 22 de março deste ano. A pasta afastou toda a direção e gestores da creche e instaurou Processo Administrativo Disciplinar (PAD) na Corregedoria do órgão, em paralelo às investigações da polícia.

A coluna apurou que a mãe dava banho no filho quando percebeu que o pênis da criança estava inchado e ferido. Questionado, o menino teria afirmado que o professor “mexeu e sentou” nele. Apavorada, a mãe do menino procurou a creche e a polícia. Como nenhuma medida havia sido tomada, a mulher voltou a questionar os gestores da unidade, que é conveniada à Secretaria de Educação.

Quase dois meses depois, o gabinete da secretária Hélvia Paranaguá tomou conhecimento sobre o suposto estupro ocorrido dentro da creche. “Os gestores abafaram o caso. Trata-se de uma situação gravíssima onde nós não fomos acionados desde o primeiro momento em que a denúncia foi feita à direção da unidade. Em virtude disso, determinamos o afastamento de todos os gestores da Cepi Bambu”, afirmou a secretária.

Medidas  

A chefe da pasta informou, ainda, que após tomar conhecimento do ocorrido, uma série de medidas de emergência foram tomadas. “Designamos uma equipe especializada para verificar o caso e garantir a integridade das investigações, assegurando que todas as informações sejam coletadas de maneira precisa e transparente, reforçando a confiança da comunidade escolar”, ressaltou a secretária.

O possível estupro é apurado pela 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia). Investigadores estão ouvindo todas as partes envolvidas. A coluna apurou que o laudo preliminar feito pelo Instituto Médico Legal (IML) não apontou sinais de violência sexual no pênis e no ânus da criança. No entanto, exames complementares foram pedidos. O caso segue em sigilo.

Veja, na íntegra, as medidas adotadas pela SEE:

“1. Encaminhamento à Corregedoria: Os fatos foram prontamente encaminhados à Corregedoria para adoção das medidas cabíveis no âmbito disciplinar, conforme os normativos vigentes.

2. Notificação Formal e Medidas Administrativas: a SEEDF notificou formalmente a mantenedora da creche, determinando a adoção de medidas administrativas urgentes, incluindo o afastamento imediato de toda a equipe gestora do Centro de Educação Infantil (CEPI) e do professor mencionado na denúncia. Essas ações são essenciais para que a investigação ocorra sem interferências e para preservar a segurança e o bem-estar das crianças.

3. Apoio à investigação criminal: a SEEDF está colaborando ativamente com a polícia, fornecendo todas as informações e suporte necessários para a investigação criminal. Queremos garantir que todas as circunstâncias sejam esclarecidas e que justiça seja feita.

4. Apoio à família: disponibilizamos suporte psicológico e assistência social para a criança e a família envolvida, garantindo que recebam todo o amparo necessário neste momento difícil.

5. Reforço das medidas de segurança: revisaremos e fortaleceremos nossas políticas e procedimentos para garantir a segurança e o bem-estar de todas as crianças em nossas escolas.

6. Portaria conjunta com a Secretaria de Segurança Pública: cabe destacar que, antes mesmo deste incidente, a SEEDF já estava proativamente preocupada com a segurança nas escolas. Em 15 de abril de 2024, publicamos a Portaria Conjunta nº 07, em parceria com a Secretaria de Segurança Pública, que instituiu um Grupo de Trabalho com a finalidade de elaborar estudos técnicos para desenvolver e implementar práticas pedagógicas e soluções tecnológicas inovadoras, visando aumentar a segurança nas unidades escolares da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal. Esta portaria demonstra nosso compromisso contínuo em criar um ambiente escolar seguro e prevenir qualquer tipo de incidente.

Essa versão do comunicado destaca a publicação prévia da Portaria Conjunta nº 07, demonstrando que a SEEDF já estava proativamente preocupada com a segurança nas escolas antes do incidente.

Ademais, insta salientar que será apurado, no âmbito desta SEEDF eventual descumprimento de cláusula contratual por parte da mantenedora da instituição, o que poderá ensejar a convocação de nova instituição para continuidade no atendimento das crianças sem prejuízo da continuidade do serviço.

A Secretaria de Educação reitera seu compromisso com a apuração rigorosa dos fatos. Até a conclusão das investigações, todos os envolvidos permanecerão afastados de suas funções. Continuaremos monitorando a situação de perto e tomaremos todas as medidas necessárias para garantir a total segurança dos alunos.

Estamos à disposição para qualquer esclarecimento adicional e continuaremos atualizando a comunidade e a mídia sobre o andamento das investigações“.

Crédito: Metropoles-DF
Fonte: https://www.metropoles.com/distrito-federal/na-mira/pcdf-investiga-denuncia-de-estupro-de-menino-de-2-anos-em-creche

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Últimas Notícias